24.5.18

E, SE FOSSE DIFERENTE?



PODEMOS MUDAR! É SO QUERER.  VAMOS? QUEM SE ATREVE A CALÇAR NOSSA PÁTRIA DESCALÇA?


12.5.18

MÃES, CADA QUAL TEM UMA ESTÓRIA PARA CONTAR





Anos 60 do século XX. Década de muitas surpresas . Lindas algumas, outras de  brutal violência.


Despertei enjoada, uma pequena cólica estranha. Levanto devagarzinho. Algo me molesta, semi dormida não entendia quê. Vou ao banheiro, estou sangrando.

Em instantes,  rumo  a maternidade. Primeiro vez  suele ser assim.
- Nada. Rebate falso alega o doutor. Dilatação zero.Volte quando as contrações aumentarem. A cada meia hora está de bom tamanho. 
- Que loucura é essa? Quando as dores chegarem de meia em meia hora volto? Ouvi bem? Mas por onde vai nascer este bebe? Ë grande demais. De passo só tenho está barriga.

Por onde anda este médico num dia ensolarado e lindo. Seguro faremos cesariana, observou na última consulta. Pela dimensão e peso, inviável parto normal.
-Está no sitio, volta no domingo à noite, e hoje é sábado. Bem que o Vinicius  de Moraes tinha razão.
- Não temos como comunicar.
-Não posso acreditar.
-Pois assim é. Hoje, casa meu irmão. Esta criança não vai nascer agora. Não viu o que disse o plantonista?
- Vá ao cabeleireiro. Fique linda. Põe aquele vestido charmossissimo. Vamos festejar.

As 17:00h regressei à maternidade. Cheia de dor dei entrada no pré parto. Entre dores e dores, suaves fortes, despertei motivada pela voz que dizia: abre os olhos, já passou. Meio dormida balbuciei : é Marcello?
Dois dias antes que Marcello comemorasse seu primeiro ano, chegou Eduardo. Sete meses, mil cuidados, sustos e sustos.

Magicamente as primeiras palavras, mãee! Pombo! me dá água.. Febres, resfriados, as famosas dores abdominais que nos dilaceram. Os  primeiros passos, o murito - mãozinhas ansiosas de felicidade – primeiro dia de aula, beijos na namoradinha,  desilusões, infinitas  historias,  casamentos,
divórcios, novos horizontes, filhos, a vida correndo em direção aos sonhos em vertiginosos encontros e desencontros.
Numa espiral, em todos os recantos do mundo milhares de mães repetem a mesma história. Doces, suaves, duras, complicadas, ternas, exigentes, dedicadas, relapsas, portais de entrada de bilhões de seres humanos, que percorrem caminhos organizando a vida.

Domingo 13/05/2018 - Um dia perdido no século XX

Hoje, abraço comovida aquela que não ouviu o toque na porta  do filho  desaparecido nos cárceres
da ditadura. Comprometo seguir lutando  por àquelas que lutam por justiça contra a bala perdida no caminho da escola, no atentado nas ruas e vielas escuras das cidades,, minimizar  o ódio que se instalou no coração dos homens,
Hoje, neste dia em que  cada beijo tem um peso diferente nosso compromisso com a verdade a justiça,  a liberdade, deve ser a meta maior de nosso compromisso com a sociedade.

Ãs heroínas  de um tempo cruel de espera da chegada, da justiça, da verdade.  A elas o nosso amor, o nosso respeito, a nossa solidariedade. Por elas, nós mães de ontem e de hoje, filhos e netos temos o dever  de priorizar  este reencontro.
Só assim estaremos cumprindo nossa missão de geradoras do homem novo, aliviando o coração de quantas esperam um toque diferente  para dar continuidade as suas vidas.

2.1.18

UTOPIA? NÀO. É POSSÍVEL MUDAR O PAÍS.


O  Brasil ainda anda de ressaca. Sem motivos aparente. Ontem foi feriado e todos poderiam colocar o sono em dia, ajeitar a bagunça acumulada durante três  dias  e hoje ir à luta.
Mas, não foi bem assim. As empregadas domésticas esticaram o feriado deixando quem trabalha num enrascada,  o pequeno empresário que é responsável pelo capital circulante e  emprego no país. Digo pequeno porque o grande empresário, gera riquezas mas, ato seguido investe no exterior, sonega impostos, paga o mais baixo salário possível. Empobrece o país.
Começamos bem. Maluf segue preso. Com certeza a  festança em  Benfica onde está o Ex- governador do Rio Sérgio Cabral  rolou solta até as tantas e hoje pode continuar deitado curtindo una vibe, acompanhada da trupe que ele levou junto com as famosas e caríssimas delações premiadas.
Milhões de dólares rolaram neste últimos anos de Mensalão, Lava Jato,  Zelotes,  entre outras milhares de operações que se formaram em todo o país  aumentando o déficit publico. Rios de dinheiro para pegar ladrões que frequentaram Paris, Londres, Orlando, Nova York, os palácios,  ilhas paradisíacas, deitando e rolando com o dinheiro público. Nem sei explicar a falência das joalherias já que a venderam  joias para mulheres e amantes como troca de favores.  Isto sem falar na raia miúda   que leva seu dizimo nem que seja 0.1%.
Sou contra a forma como estas operações são orquestradas, geram  uma despesas paralela de  gastos em premiações, (delações premiadas)  investimento em  aparatos policialescos para manter a ordem das  passeatas pacificas, gastos  que vão  desde o cafezinho até as viagens absurdas ao império Curitibano. Quanta custa a cada brasileiro o centavo roubado pelos políticos corruptos? Onde vai parar o dinheiro que retornou aos cofres públicos? Retornou?????
Alguém se lembra do Programa  MEC -USAID? Do escândalo da CAPEME? Da MANDIOCA?  TUCURUI, ITAIPU, ANGRA I,II,III? OPERAÇÃO DRAGÃO - O CRUZEIRO? LEMBRAM?
Como diz a nossa grande,querida jornalista - Rose Nogueira - a história é um processo.  Para alterar  esta situação limite é preciso: Reforma política, fiscal, eleitoral imediatamente. Vamos começãr de novo contando conosco.Vai valer a pena. Podem crer.
2018 - com dignidade
.



31.12.17

2018 - INFINITO DE REALIZAÇOES.


Anos e anos passam e o homem busca entre a esperança e a luta cotidiana  - sua  liberdade. Anos trás anos abraçamos- nos  desejando  a renovação,  energia, saúde, alegrias, poucas tristezas, novos amigos, crescimento e  justiça.
Assim caminha a humanidade entre o possível e a utopia. 2017, como todos os anteriores tivemos perdas significativas, lutamos, fomos as ruas, gritamos contra o status quo, sofremos a angústia de ver a pátria ultrajada por políticos e empresários inescrupulosos que durante anos vem sugando nossas riquezas naturais ,nossos direitos, nossos sonhos  de um futuro de paz e prosperidade para o povo brasileiro.A violência política extrapolou todos os limites . Matou, comprou, vendeu,  frustrou a paz de  famílias inteiras, manchou passados gloriosos, fundiu os sorrisos,  rasgou conquistas.   Fechamos  o ano  num balanço geral de resistência preparados para seguir no front, alguns conscientes de que o presente foi fruto de nosso descuido. Não começamos a gritar na hora certa e sim no final do 2o. tempo.
2018 - chega eufórico. Necessitamos desta utopia.Desta esperança.  Num piscar de olhos um ano se vai , outro entra pleno de força, projetos, crenças, energia renovada nos abraços, nas mãos dadas na virada numa troca  explosiva de energia.
Tudo que queremos é mudar a rota. Queremos  dignidade, saúde, tolerância, respeito, acesso ao conhecimento, solidariedade, ética,  igualdade, reconhecimento - Liberdade na concepção humana da palavra.
Que o infinito símbolo do número 8  preencha os de  farta  poesia para encaramos cada desafio. Mudar será a palavra de ordem, superando barreiras, removendo pedras, semeando amor. Muito amor.
Vamos aproveitar esta energia que paira no ar para abastecer corações e com sabedoria escolher que caminho queremos trilhar.
 
 

25.11.17

FIDEL CASTRO - EL COMPAÑERO INTRANABLE

-->












La noche se acercaba  angustiante, tibia, nostálgica.
Sentia una necesidad imensa de llamar a Cuba. Algo no andaba bien en mi corazón. Tenia un gorrión  inexplicable. Urgia oir una voz cubana. Eso me passa cuando la tristeza insiste en passear por mis artérias. 

-      El comadante Ramiro Valdez  salió para más una reunión me contestó la  compañera. No vuelve más hoy por aqui .
-      Tengo  gorrión , le dije.
-      Todo está bien por acá, chica.  Todo bien con ustedes? Pergunto.
-       Si, nada más esta necessidad de oirles.
Hablamos  un rato. Colgué el telefono sin tener apaziguado esta sensación de vacio. ni oir la  voz segura e tranquila, siempre de una ternura imensa, del Comandante Ramiro. Muchos años nos une desde aquele enero de 1970.
Esperaba por la Consul de São Paulo para una visita rápida. Llegaron  exaustos despues de un dia intenso de  trabajo en Rio.

Empezamos a hablar del Comadante en Jefe – nuestro Comadante en Jefe  - Fidel.
Reiamos de su fantástica cubania, de sus sueños que  vamos transformando en realidad. Del Año de la Alfabetización, del terremoto en Perú “ el como siempre el primer a dar el ejemplo”,  donando sangre  para las vitimas del gran terremoto que destruira  el país. Del sequestro de los pescadores en 1970 por los mercenários del império . De su  presencia  dirigindo un Jeep en muchas mañanas por la 5a. Avenida, orgullo de cuantos podian acenarle como la Tia – la brasileira – fascinada por su bravura.
De  su interés y  inversiones en la biotecnologia, en el médio ambiente. Hasta habia creado una página fantástica en la internet  Unaepecieenpeligro excelente para pesquisas e informaciones.
Del encuentro con los muchachos en el acampamento José Martí cuando juntos escogieron el dia de los niños.

Asi iba creando, haciendo, construyendo todos sus sueños de transformar su pátria  en una sociedad diferenciada de todas, aunque el bloqueo, e las vicissitudes que nos impõe la fuerza de la natureleza.

De Girón – 1a. Derrota del imperialismo en tierras cubanas. De Elián, de la Batalla de ideias, del gusto por la Nova Trova, de sus fantásticas pastas hechas en casa de Sara Gobzalez, regadas a  la voz  divina  de una revolucionaria  sin par.

De gran estadista  al hombre simples, jugueton, majadero entre otras virtudes y muy pocos defectos.
Descobríamos  en aquela noche cuanto él era importante para nosotros.

Los cubanos queridos se fueron a dormir, yo a la cama tambien.

Sueña el telefone, yo médio dormida contesto.
- Paulo Abrão! - Secretário Executivo da Comissão Interamericana de direitos humanos da OEA – nosso orgulho - a esta hora?
- Que aconteceu? Onde está?
- Você está acordada? Meio dormida?

Sua voz  estava embargada..
Passou algo?
Emocionado   dispara a noticia.

Estou em Nova York. Acabo de ver na na TV em primeira  mão; sua voz embargada anunciou: Fidel faleceu.
-      Como? Onde você viu isto, Paulo?
-      Estou vendo Raul Castro anunciar.
-      Desculpa, querida. Não queria ser eu nunca a dar esta noticia. Faleceu o grande líder da humanidade.
Desliguei o telefone aos prantos. Impossível conter a emoção.  Fidel nos parecia imortal.
Liguei para o hotel. Seguramente, estariam dormindo.
Qual o quê. A companheira querida atendeu aos prantos.
Nada a fazer. Levantamos. Buscamos passagens para Habana.

Millones de llamadas de periódicos, TV’s  ávidos de noticias. Más, como? Que passou? Que pasará de aqui para delante con la isla?
Nada. Apenas el dolor de la  perda.
Pero como?...

Al mediodia del 26 de noviembre de 2015, desembarcaba en Habana.
El silencio umedecido por las lágrimas, banhava la cuidad.
Fuimos direto a la Plaza de la Revolución a encontrar los compañeros del Ministério de Cultura.
        Hileras de cubanos cabisbaixo caminaban en      direción al Monumento de la Plaza para homenagear el passado, el presente y el futuro.

El legado del Comandante no se enquadra  en el concepto de que el futuro torna-se una ideia vieja. El colocó su pátria en el patamar donde los hombres se dan cuenta de que no es posible cambiar la história en profundidad. Pero si es  hacerla transformando el  cotidiano en extraordinário.

Fidel Castro – El Comandante de la esperanza de América Latina -, transcendió  las fronteras virtuales, los horizontes,  iradió  sus ideias  por todos los continentes.

Fidel Castro Ruz – el joven de Birán -  siempre  será el paradigma de nuestras metas de ser  más humanos.

Gracias Comandante!







11.11.17

VICENTE FELIU - O TROVADOR QUE NOS ENSINOU A CREER


Hoje, chove por aqui no Rio.  Chuvinha fina, sem graça, nem frio muito menos calor. Entro no face, vou a página do Vicente para desejar-lhe um feliz aniversário. Já esta apinhando de  mil desejos de felicidades. Levantei cedo para ser uma das primeiras, sou quem sabe quantas atrás de muitos dezenas. Não importa. De pronto,  entra  um emoj ,  Vicente. Desejo tudo de novo. Vou passar o dia sempre que possa mandando beijos ao trovador.
Vicente faz parte da minha vida. Anos de luta, de sonhos, de sons, de muita  música,  de guerra, de crescimento, de afirmação da nossa coerência revolucionária.
Queria estar lá. Abraça-lo forte. Cantar com todos CREEME.
Felicidades querido companheiro, amigo, trovador ímpar. Alegrias todas, saúde, um tanto de paz, aquele carinho de siglos. Obrigado por ter nos dado tanto amor, tantas músicas, cheia de lições vida.
Te amo
Marilia Guimarães

 Lembranças  de 2011 em sábado de chuva no Rio de Janeiro. 2017
Hoje, chove por aqui, mas em Havana faz sol e comemora Vicente Feliu. O trovador que nos deu um dos maiores regalos da musica Cubana - CREEME.


Depois de tantos feriados, de quarta a domingo encarar uma segunda – feira só se o inesperado aprontasse uma surpresa.
Comecei por ir ao dermatologista que eu creia ser o mesmo de muitos anos atrás, pois a minha querida Bruna anda desaparecida desde que foi trabalhar em outra Clinica.  O dermatologista não valeu. Deixei um recado no celular dela.
Um mal estar começava a incomodar minha garganta , uma leve dor de cabeça e de pronto febre. Caramba, não posso. Tenho que ir a São Paulo gravar meu depoimento para a novela Amor e revolução a convite de Tiago Santiago. Ä noite jantaria com um dos maiores poetas deste Pais Thiago de Mello. No dia seguinte, como sempre faço iria ver meus dois Zés - o amor eternizado José Ibrahim, o outro Zé – companheiro de longas datas por quem nutro uma profunda admiração e carinho – o Dirceu, e se a vida permitir rever alguns velhos amigos.
Tudo errado. A virose – designação utilizada para resfriados, gripes, dengues, infecções intestinais e algumas vezes mal de amores tomou conta do pedaço.
A tristeza bateu forte. Avisar e desapontar a produção tão feliz com resultado de Amor e revolução e dos depoimentos foi decepcionante.
De repente, um email da Embaixada Cubana rompe a tarde numa onda de felicidade. Uma carta de Fidel Castro para mim e outra para o companheiro de sonhos Oscar Niemeyer.
Outro email entra na caixa de entrada – uma receita de como curar um resfriado de meu amado poeta, que vou compartir com vocês. Só não fica curado aqueles que tem no lugar do coração um grande vazio.
..“Fica logo boa, Querida Marilia, com o remédio que minha mãe Dona Maria
me ensinou?
Descasca um limão dos graúdos, como se faz com laranja, deita as cascas a ferver
numa caçarola. Enquanto ferve espreme bem o limão numa chávena, tira os caroços do suco.
Deita depois um dente de alho, esmaga muito bem dentro do suco, acrescenta um
pedaço pequenino de mangataia (gengibre), amassa misturado com o alho. Enche bem a taça com a água fervida (sem as cascas). Deita uma colher de mel de abelha, espera esfriar um pouco, toma aos goles vagarosos,lembra de mim e deita para dormir.
Se estiveres rouca, deixa para me chamar na quarta-feira.
Te quiero, compañera de esperanza.
Thiago"

Para completar Eduardo abre um livro e dentro tira guardando com todo carinho uma partitura manuscrita numa folha pautada do grande Paulo Moura, um funk lindo composto e dedicado a mim, em 1982.
A ronquidão persiste, mas outras mazelas tomaram caminhos opostos ao meu.
Entre tantos amores, vividos e por viver não tem virose que resista.
Perdi a gravação. São Jorge deixou passar seu dia, e mandou um tremendo aguaceiro para purificar o Rio de Janeiro e provar que estamos quase chegando lá em organização, apesar das intempéries. Por estas ou por outras tantas é que vale a coerência na vida.

15.10.17

MENTIRAS PIADOSAS NUNCA MÁS


Vivimos tiempos movidos. Las noticias abruman si no eres capaz de hacer un rastreo previo antes de leer, pero de manera especial antes de opinar.
Los momentos convulsos en los estamos inmersos traen a mi memoria los vividos hace años, cuando la gente, la ciudadanía en general menos preparada que la de hoy no sabíamos lo que sucedía a 50Km de distancia, es decir, aquello que sufrían hombres-mujeres-niños donde se podía llegar solo con un carro y un burro, único medio de comunicación.
Hoy, no hay excusa, la conexión con el Planeta Tierra es brutal, instantánea. No hay excusa para quienes saben  pensar-discernir, tras leer y tamizar las informaciones.
Es lamentable corroborar que, a pesar de las comunicaciones, lo que mejor se expande es la mentira, la tergiversación, la forma de presentar los sucesos. NO cual han sucedido y suceden, sino, a beneficio de quienes mal actúan y tienen el poder del capital que les apoya.
Algunas de las que se callan y deberían alzar su voz, son personas hasta ahora reconocidas como respetables, defensoras de la paz y la justicia, de los Derechos de hombres y pueblos, muchas de las cuales, hoy, se muestran mudas. ¿Vendidas a...? Que cada cual averigüe. Me duele el alma.
Tampoco entendemos los planteamientos de Europa, atenta solo a lo que supone la grandeza del poder del capital, No las personas ni las Naciones que quieren su libertad, ganada a pulso tras la Dictadura, tras la Constitución conciliada en momentos temblorosos.
Constitución que debió ser rectificada, puesta al día para acabar con la dictadura de quienes la usan a beneficio propio y modifican cuando les conviene, a su albur.
Pugno por la Europa de los ciudadanos, la Europa de los Pueblos. No, la Europa de la Economía. No es este el mundo al que aspiro desde hace ya ochenta años, sin rendición ni tregua.
Tengo amigos allende los mares que me piden les explique lo que no entienden: lo que vive hoy Catalunya, los sucesos inconstitucionales, los daños y represalias acaecidos las últimas semanas, colofón a lo que estamos acostumbrados desde siempre y ahora hemos dicho:
NO MÁS SUMISIÓN a partir de la fuerza.
Huelga decir que les respondo con sumo placer. Sin miedo, corroboro lo que intuyen a partir de las fotografías, ataques a personas, a Escuelas, NO de la prensa escrita, en su mayoría poco fiable.
Otros amigos que deberían estar al corriente de lo acaecido, buscando vías-voces fidedignas, se colocan al margen, cuando por sus responsabilidades, deberían saltar a la palestra. Seguro que la Historia les juzgará en un futuro próximo por su incomprensible: Triste conformismo.
No podrán nunca más hablar de PAZ si no rectifican a tiempo. Mañana será tarde.
Espero que ganará el buen tino y que la razón se impondrá a la sinrazón de demasiados,  aquellos que viven a expensas de..., y temen se les puede acabar el chollo.
Es un orgullo corroborar que somos muchos, millones, quienes nos sentimos igual, abandonados por demasiadas autoridades que deberían dar la cara.
No deberían acercarse al mejor postor, sin conocer las razones que les impulsan: jugar con sus nombres y condecoraciones.
Amigos, rectificar es de sabios. Somos la gran esperanza. Otros seguirán...

Arquivo do blog