15.10.17

MENTIRAS PIADOSAS NUNCA MÁS


Vivimos tiempos movidos. Las noticias abruman si no eres capaz de hacer un rastreo previo antes de leer, pero de manera especial antes de opinar.
Los momentos convulsos en los estamos inmersos traen a mi memoria los vividos hace años, cuando la gente, la ciudadanía en general menos preparada que la de hoy no sabíamos lo que sucedía a 50Km de distancia, es decir, aquello que sufrían hombres-mujeres-niños donde se podía llegar solo con un carro y un burro, único medio de comunicación.
Hoy, no hay excusa, la conexión con el Planeta Tierra es brutal, instantánea. No hay excusa para quienes saben  pensar-discernir, tras leer y tamizar las informaciones.
Es lamentable corroborar que, a pesar de las comunicaciones, lo que mejor se expande es la mentira, la tergiversación, la forma de presentar los sucesos. NO cual han sucedido y suceden, sino, a beneficio de quienes mal actúan y tienen el poder del capital que les apoya.
Algunas de las que se callan y deberían alzar su voz, son personas hasta ahora reconocidas como respetables, defensoras de la paz y la justicia, de los Derechos de hombres y pueblos, muchas de las cuales, hoy, se muestran mudas. ¿Vendidas a...? Que cada cual averigüe. Me duele el alma.
Tampoco entendemos los planteamientos de Europa, atenta solo a lo que supone la grandeza del poder del capital, No las personas ni las Naciones que quieren su libertad, ganada a pulso tras la Dictadura, tras la Constitución conciliada en momentos temblorosos.
Constitución que debió ser rectificada, puesta al día para acabar con la dictadura de quienes la usan a beneficio propio y modifican cuando les conviene, a su albur.
Pugno por la Europa de los ciudadanos, la Europa de los Pueblos. No, la Europa de la Economía. No es este el mundo al que aspiro desde hace ya ochenta años, sin rendición ni tregua.
Tengo amigos allende los mares que me piden les explique lo que no entienden: lo que vive hoy Catalunya, los sucesos inconstitucionales, los daños y represalias acaecidos las últimas semanas, colofón a lo que estamos acostumbrados desde siempre y ahora hemos dicho:
NO MÁS SUMISIÓN a partir de la fuerza.
Huelga decir que les respondo con sumo placer. Sin miedo, corroboro lo que intuyen a partir de las fotografías, ataques a personas, a Escuelas, NO de la prensa escrita, en su mayoría poco fiable.
Otros amigos que deberían estar al corriente de lo acaecido, buscando vías-voces fidedignas, se colocan al margen, cuando por sus responsabilidades, deberían saltar a la palestra. Seguro que la Historia les juzgará en un futuro próximo por su incomprensible: Triste conformismo.
No podrán nunca más hablar de PAZ si no rectifican a tiempo. Mañana será tarde.
Espero que ganará el buen tino y que la razón se impondrá a la sinrazón de demasiados,  aquellos que viven a expensas de..., y temen se les puede acabar el chollo.
Es un orgullo corroborar que somos muchos, millones, quienes nos sentimos igual, abandonados por demasiadas autoridades que deberían dar la cara.
No deberían acercarse al mejor postor, sin conocer las razones que les impulsan: jugar con sus nombres y condecoraciones.
Amigos, rectificar es de sabios. Somos la gran esperanza. Otros seguirán...

1.10.17

AO GUERRILHEIRO HEROICO - CHE GUEVARA

Ita não veio trabalhar, impossível sair e deixar Marcello. A noite mal dormida, o dia chuvoso, aquela angústia queimando o peito. Que fazer? Passaria o dia entre avaliações da escola, brincaria com Marcello, leria alguns poemas que podiam diminuir aquele mal estar sem sentido aparente.

Após o almoço, liguei a televisão. Quem sabe um filme. Edu inquieto mexendo e remexendo na barriga já num adiantado sete meses, quase prontinho para chegar. Marcello insistia em revolver os livros da estante, sua diversão predileta sempre que a porta da biblioteca se encontrava aberta.

De repente, um furacão invadiu à sala: Ernesto Guevara - Che, o guerrilheiro argentino foi capturado cerca de Higueras. – na Bolívia. Outra noticia sobre a prisão do rebelde em poucos minutos. - informou o repórter.

Inverossímil. Puras especulações. Nada disso poderia ser verdade. Nada. Absolutamente. Era mentira. Comecei a chorar.

Estampada na tela TV cabeça tombada para trás, olhos entreabertos como olhando a vida El Che. Assassinaram o Che, Marcello. Assassinaram nosso guerrilheiro heroico. Abraçada a meu filho chorava desesperadamente. Che representava a esperança viva de liberdade do mundo. Che representava a ternura, a força, o ideal revolucionário. O nosso Comandante Guevara.

 Nem Moacir. Nem Juarez. Somente Marcello com seus 7 meses, e Edu revolvendo no meu ventre. Caminhava de lá para cá alucinada. Desesperadamente perdida. O sofrimento era maior do que razão de não traumatizar duas crianças. Poucos dias, conheci de tamanha tristeza, revolta e impotência, somente comparado ao atentado a avião da Cubana de Aviação, em Barbados.

Hoje, 50 anos depois não chove. Marcello está longe, Edu também.  Não choro. Somente  uma  sensação de vazio latino americano. 

Reafirmamos esta  saudade que emudece a terra. Ernesto Che Guevara vive. Floresce nos campos da América Latina, cruza fronteiras, ganha espaço no coração de milhares de gerações que seguem seu exemplo e ostentam orgulhosos sua imagem de ternura intensa.
O Brasil vive uma das crises moral e ética mais profunda de sua história. A direita tenta  a  força retirar todos os direitos conquistados. Nossos parlamentos tem odor a fezes medievais. O povo brasileiro luta contra a falta de ética, dignidade, e perda de valores essenciais. Já não somos Querido Comandante  um povo alegre, muito menos feliz. Estamos triste. Mais uma vez o império com seus tentáculos invade nossas florestas, lobotomiza nosso povo.  Vamos numa tentativa hercúlea  nos fortalecemos na luta diária na tentativa de despertar o sentimento de defender e amar nossa Pátria.

América mudou e muito. Conquistamos liberdades. Perdemos outras, seguimos.  Uma certeza não me deixa desistir. A Liberdade é essencial para todos, a ternura também.  Sei como sei da sua entrega pela libertação do homem  e de que  sempre  novas gerações procurarão ser como Você. Entre perdas e ganhos um dia não muito distante recuperamos a soberania convictos de que Pátria não é um solo cheio de riquezas que mantém os poderoso. Pátria é a terra donde nossos pés tirou a energia que alimentou nossos sonhos e os transformou em realidade.
Pátria o muerte! Venceremos! 

31.12.16

MENINOS EU VI









O verde amazônico deslumbra, ofusca, sugere, acalma, fortalece, e reafirma a vida, sob um céu com entretons de azuis, coalhado de pequenas nuvens brincalhonas; carneirinhos, bolinhas, pequenos elefantes, gotas de chuva, pedaços de algodão, dançam  numa viagem prestidigitadora entre o  alegórico  e a fantasia.
Estamos em Boa Vista, aquela cidade que traz no seu encanto muitas magias.
A tríplice fronteira entre o Brasil, Guyana, e Venezuela extasia os visitantes com sua imponente formação rochosa – o Monte Roraima,  um dos lugares mais antigos do planeta,segundo a lenda apinhando de diamantes. Cada ser vivente tem direito ao seu, sabemos por aqui.
O Rio Branco caudaloso, que não é de Janeiro, mas autenticamente brasileiro, formado pela confluência dos rios Tacutu e Uraricoera corre suavemente onde habita  Iara – a mãe grande das águas doces abençoado pelos  índios Macuxis que enfeitiçam estas paragens.


A cidade  projetada em forma de leque inspirada em Paris, totalmente ao norte da linha do equador, guarda a sete chaves geograficamente, o coração da América.
Tem açaí, cupuaçu, pupunha, mangas, em cada esquina, espécies raras, já não encontradas no sul maravilha. 
Tem gente feliz. Muita gente feliz.  Carregadinho  de gente feliz.
Tem riso, riso e riso. Incluindo o meu  embora forasteiro. Um tremendo riso. 
A felicidade aqui chega nas ondas do vento que balança, balança os cabelos, os galhos das árvores, as saias, os coqueiros, mexe e remexe as águas dos igarapés.
A esperança que abusa  de ser esperança foi construída em  alguns séculos  aprimorada carinhosamente nos últimos quatro anos.

Pode ser este o motivo maior onde bate mais forte todos os desejos. Prospera, rica, fértil é hoje o orgulho do País.
Após quatro anos de uma administração eficiente e bem sucedida, consolidada pelo apoio incondicional da população que saiu às ruas espontaneamente  fortalecendo cada voto - Teresa Surita – mulher, guerreira, arrojada, determinada, moderna, voltada e centrada no hoje – agora - concretizou projetos que permitirão  a construção de um futuro seguro para o povo Boavistense. Será empossada como a 1a. Prefeita com o índice mais alto de aprovação popular do continente Brasileiro.  Parabéns!


..Um velho timbira, coberto de glória, guardou a memória do moço guerreiro, do velho Tupi.
E, a noite, na tabas, se alguém duvidava do que ele contava,

dizia prudente - Meninos, eu vi.  Gonçalves Dias.

8.10.16

ETERNAMENTE COMANDANTE CHE GUEVARA

Ita não veio trabalhar, impossível sair e deixar Marcello. A noite mal dormida, o dia chuvoso, aquela angústia queimando o peito. Que fazer? Passaria o dia entre avaliações da escola, brincaria com Marcello, leria alguns poemas que podiam diminuir aquele mal estar sem sentido aparente.

Após o almoço, liguei a televisão. Quem sabe um filme. Edu inquieto mexendo e remexem do na barriga já num adiantado sete meses quase prontinho para chegar. Marcello insistia em revolver os livros da estante, sua diversão predileta sempre que a porta da biblioteca se encontrava aberta.

De repente, um furacão invadiu à sala: Ernesto Guevara - Che, o guerrilheiro argentino foi capturado cerca de Higueras. – na Bolívia. Outra noticia sobre a prisão do rebelde em poucos minutos. - informou o repórter.

Inverossímil. Puras especulações. Nada disso poderia ser verdade. Nada. Absolutamente. Era mentira. Comecei a chorar.

Estampada na tela TV cabeça tombada para trás, olhos entreabertos como olhando a vida El Che. Assassinaram o Che, Marcello. Assassinaram nosso guerrilheiro heróico abraçada a meu filho chorava desesperadamente. Che representava a esperança viva de liberdade do mundo. Che representava a ternura, a força, o ideal revolucionário. O nosso Comandante Guevara.

 Nem Moacir. Nem Juarez. Somente Marcello com seus 7 meses, e Edu revolvendo no meu ventre. Caminhava de lá para cá alucinada. Desesperadamente perdida. O sofrimento era maior do que razão de não traumatizar duas crianças. Poucos dias, conheci de tamanha tristeza, revolta e impotência, somente comparado ao atentado a avião da Cubana de Aviação, em Barbados.

Hoje 48 anos depois não chove. Marcello está longe, Edu também.  Não choro. Somente  uma  sensação vazio latino americano. 

Reafirmamos esta  saudade que emudece a terra. Ernesto Che Guevara nunca morreu. Floresceu nos campos da América Latina, cruzou fronteiras, ganhou espaço no coração de milhares de gerações que seguem seu exemplo e ostentam orgulhosos sua imagem de ternura intensa.
O Brasil vive uma das crises moral e ética mais profunda de sua história. A direita tenta  a  força retirar direitos conquistados. Nossos parlamentos tem odor a fezes medievais. O povo brasileiro luta contra a falta de ética, dignidade, e perda de valores essenciais. Já não somos querido Comandante  alegres em tristes. Nos fortalecemos na luta diária e estamos preparados para defender nossa Pátria.
América mudou e muito. Conquistamos liberdades. Perdemos outras, seguimos.  Uma certeza não me deixa calar. Sempre algumas gerações procurarão serem como Você.

6.10.16

VUELO 455 - O ATENTADO DE BARBADOS






Marcas profundas jamais se cicatrizam. Inevitável  a tristeza que  acicata nossas lembranças a cada 6 de outubro, não importa o ano muito menos o século.

Sei que a poucas horas da manhã, o voo 455 de cubana de aviação  que recém despegava do aeroporto de Barbados explode no ar. Num ato terrorista,  comandado por Posada Carriles  - nunca condenado,  eram assassinados 73 pessoas entre elas os jovens da delegação de Esgrima, duas tripulações e Norte coreanos.

Da tripulação sei de cor. Meus alunos de português. As madrugadas em Miramar eram animadas e cheias de riso quando a fonética da palavra você ( difícil trocar o B pela B baja) era quase que soletrada.
Disciplinados, felizes, sérios, quase infantis  aprendiam meu idioma natal para comunicar com os irmãos angolanos nem que fosse num portunhal compreensivo.

Alguns meses, de dedicação,quase diária nos fizemos amigos entranháveis. Eles aprendiam português. Eu curiosidades da navegação aérea. Ou como fazer uma lagosta perfeita com chocolate.

Na tragédia, As lágrimas transcendiam a razão. A emoção dominava tudo. Diante, da  dor a dor dilacerante, minha, dos familiares, do povo cubano.

As lágrimas transcendiam a razão. A emoção dominava tudo. Diante, da  dor a dor dilacerante, minha, dos familiares, do povo cubano.

Com voz embargada, as lágrimas molhando a espessa barba  ecoava no abismal  silêncio  da praça da revolução enlutada:
Quando um Pueblo enérgico y viril llora la injusticia tiembla”  sentenciou Fidel.

Há 40 anos, se intenta fazer justiça. Há 40 anos choramos nossos companheiros, não somente a cada dia 6/10 de qualquer ano, mas sempre que o terrorismo abate vidas, destrói civilizações impunimente. Mata, tortura, assassina milhares de seres humanos no planeta.
A justiça é lenta, não tem deficiência visual, sabe o que faz e como faz. Ë  assassina, cruel, mortal. Poucos  tentam limpar as marcas que ela deixa cunhada na lembrança, nos corações, na vida. 
Nossos heróis sempre serão recordados com mais pura ternura. São exemplos de gerações a gerações. Este sentimento  não tem fim nem  fronteiras.

10.9.16

O RIO DE JANEIRO MERECE!







Lá pelos anos 80, na famosa Bodeguita de Rio,  no século passado conheci  Jandira Fhegalli.
Adentrou na nossa vida como se fosse uma esperança pousada na janela. Longos papos sobre a dificuldade de reconstruir o Pais amordaçado pela ditadura que havia levado a tortura  centenas de jovens, assassinado outros tantos e desaparecido com muitos, passando pelos exiliados que como eu regressara,  depois de uma longo dia que durou 21 anos.
 Passávamos horas elaborando etapas que mudassem o rumo da política no Brasil. Foi se forjando dentro do Partido Comunista do Brasil – PCdB ainda clandestino. Percorreu o melhor caminho -  a luta sindical. Da  Associação de residentes do Hospital de Bonsucesso à Presidente do Sindicato dos Médicos, chegou em 1990 a Deputada Estadual. Poucas mulheres tiveram uma carreira política tão rica em aprendizado, forte e definitiva. Era a mulher galgando, conquistando espaço antes exclusivamente masculino. Da Assembleia Legislativa á Câmara dos deputados  representou seu eleitorado com dignidade , força, luta  e coragem invejáveis.

Dias atrás, a encontrei iluminada defendendo a  democracia, propondo com muita competência ser a Prefeita da nossa cidade.

Sabe dos grandes desafios, das dificuldades, do momento histórico conturbado. Sabe que vai ser difícil governar  o Rio de Janeiro, cidade Estado, com seus males nunca resolvidos.

Centralizada na diversidade cultural – alicerce da sociedade, saúde, educação é seu ponto de equilíbrio, único mote possível  para transformar , dar ao cidadão carioca aquela paz necessária, aquela tarde tranquila cercado de montanhas, suavizado pelo verde de suas florestas, beijado eternamente pelo mar.

Assim será. No dia 02 de outubro de 2016, nas primeiras horas da manhã, os cariocas vão correr as urnas.
Poderão numa sábia decisão fazer desta mulher, médica, baterista, guerreira nata, mãe extremada, companheira fiel, a primeira mulher a governar  a cidade maravilhosa. Excelente pedida.

 


9.9.16

SUPER MACUXI - O QUE É QUE BOA VISTA TEM? -





A campanha para Prefeito das capitais brasileiras e a renovação dos Vereadores das Câmaras Municipais  continuam sendo enfadonhas, primorosas nas agressões aos antecessores, repetitivas, necessitando sempre de muito dinheiro para poder falar o já falado, envelhecido de fato  em tempo e espaço, centradas  nos  grandes currais eleitorais.
E, assim vão ganhando os dias, o eleitorado sem perspectiva de escolha no que é melhor para sua cidade, sem entender como e, porque?
"De repente não mais que de repente"a la Vinicius de Moraes surge  Boa Vista,  àquela do famoso Monte Roraima - capital do Estado que faz fronteira do Brasil com a comentada Venezuela e a Guiana Inglesa, surge  no cenário nacional  uma  Campanha eleitoral ousada, moderna, usando a tecnologia para dizer ao povo que Teresa Surita  foi sim a grande Prefeita de um Brasil conturbado, que cuidou e acolheu outros brasis, que fez da cidade referência nacional no cuidado com a sua gente de todas as raças, cores e credo, que foi hospitaleira, consequente, que cumpriu metas possíveis, que primou pela brasilidade e atendimento diferenciado desde o ventre materno aos cabelos prateados num esforço imenso de acertar e dar ao Boavistense uma vida digna de ser vivida.

Por vez primeira, o Brasil numa campanha de eleição regional aparece nas páginas de jornais estrangeiros  e nacional por sua criatividade baseada na cultura, na tecnologia, no aporte de voluntários que aprenderam a doar-se  num exemplo nítido de que falar é fácil - Fazer é a parte complicada.
Entre super heróis - que transmitem  valores éticos, amor a humanidade,  coragem, ternura, dedicação;  as simpáticas chamadas em "Memes ao vivo' pedindo ao Google que atualize seus mapas, porque Boa Vista mudou e como!

Os temas musicais contemplam todos os gêneros e ritmos, descrevendo o belo de um sorriso, a beleza de uma praça onde até Silvio Rodriguez o poeta, trovador cubano  encanta as noites calorosas na linha do Equador.
Bate uma vontade louca de pegar o 1o. voo,  juntar-se a esta gente cheia de valor, ajudar a alegre Teresa a seguir  transformando ,  o centro do coração da América, na cidade de melhor qualidade de vida, de educação, saúde e cultural do pais que amo de paixão.

Arquivo do blog