3.9.10

Um horário eleitoral entre a alma feminina, a nostalgia dos fados e batida incomparável do violão do João.

Ando louca para sair do papel, mas a campanha eleitoral não permite É uma loucura mas pelo Brasil vale a pena. E, como vale. Desde que me entendo por gente amo este continente em forma de coração, verde amarelo, cheirando a mar. Amo esta gente como amo a vida.
Larguei num arquivo, meu 3º.livro sobre o regresso a minha pátria depois de 10 anos de exílio, que insiste em deixar o HD e sair correndo para um Ipad. O roteiro de “ Nesta terra Neste instante “– sobre um ano de clandestinidade até o seqüestro do Caravelle para Cuba, já vai se ajustando as cenas e dentro de um ratito entra nas salas de cinema. Planos e planos, mas todos atrelados a ajudar na escolha da continuidade de Governo que tão bem faz ao povo brasileiro. Sem falar na competência. conhecimento e dedicação que fará toda a diferença tendo Dilma no Planalto. Afinal, somos da geração que deixou o batom de lado, as unhas sem fazer, o cabelo quase em desalinho porque o sonho de tornar a pátria livre era maior que todos os amores, todas as dores.
Ontem, vi o horário eleitoral. Bate uma alegria, uma satisfação imensa. Quem diria companheira que ainda íamos viver esta estória. E, quem duvida que somos e estamos felizes. Temos um mundo de desafios pela frente. Claro que sim. Mas este povo nascido da fusão de tantas raças traz nas veias a força de um Zumbi dos Palmares, a alegria itálica, a saga dos portugueses mesclados a nostalgia dos fados que no correr dos anos foi se transformando nas batidas de um violão baiano. Chico – cantou e recantou a alma feminina nos seus versos. Premonição, profecia quem sabe? Chico Buarque é assim. Entre a brasilidade e a timidez sabe das coisas.
O Rio continua vanguarda apesar de tudo. Buscou na perseguição uma 3ª. via. Encontrou um Fernando, o Peregrino professor da UFRJ, que chegou no final do 1º. Tempo. Fernando passa a tranqüilidade de quem sabe e respeita o povo que faz anos o acolheu. É um carioca a mais entre tanta diversidade cultural. Sonha como Darcy Ribeiro em levar as crianças de volta ao horário integral tirando-as da rua, nas tardes quentes de sol, possibilitando que mulheres e mulheres realizem seus sonhos: ser mãe, sem perder a oportunidade de poder contribuir no desenvolvimento da sociedade.
Somente os sonhadores são capazes de realizar grandes obras.
No fim de semana, antes de encontrar meus queridos amigos dedicarei a ver e ouvir outros candidatos ao governo do Estado .
Só não gostei desse jogo de violação da receita federal etc.. e tal. E, pior imputando a #Dilma o feito. Convenhamos, alguém aqui neste universo cibernético acredita que ela precisa saber alguma coisa da filha do outro candidato?

Nenhum comentário:

Arquivo do blog