2.1.11

E, agora está amanhecendo...

De repente o coração palpitou mais forte, os lábios tremeram, as mãos umedecidas pelo suor continham a emoção, o passado corria veloz décadas, atrás quando este Pais lindo como o trinar do sabia , verde como as folhas das palmeiras, azul como as águas marinhas fincadas nas minas gerais, chorava pelos filhos desaparecidos, pelos torturados nas escuras e fétidas prisões, pela volta do irmão do Henfil, num grito sufocado de “desesperar jamais” vi subir a rampa do Planalto Central a jovem destemida herdeira direta de nossos sonhos, para dar continuidade ao governo do menino, operário, vindo do nordeste procurando o futuro, abrindo caminhos, subindo em palanques, vencendo reivindicações, conquistando em sua simplicidade de homem sábio o continente e o mundo.
Quem diria queridos companheiros, que presenciaríamos e vivenciaríamos esta parte de nossa historia. “Foi o dia em que o sertão virou mar e o mar virou sertão”...
Foi um dia feliz. Talvez um dos mais felizes. O dia em que a chuva cumprindo a profecia dos deuses lavou nossos corações para dar lugar a um lindo amanhecer de esperança.
01/01/2011

Nenhum comentário:

Arquivo do blog